terça-feira, 8 de julho de 2008

Fazendo Backup do Pen Drive e sincronizando os arquivos no Ubuntu com o Grsync

Comentar Enviar por e-mail Enviar por Twitter Publicar no Facebook Promover no Orkut Imprimir ou Converter para PDF Ouça este post Mais opções (pop-up)
Este pequeno tutorial ensinará como fazer backup do pen drive no Linux e como sincronizar os arquivos, de sorte a tornar a operação mais rápida e prática.

Há algum tempo procurei no Google por um programa para Linux que servisse para fazer um backup simples do meu pen drive (usb flash drive) sempre que eu o plugasse no computador. Quem já perdeu um pen drive com todos os seus dados sabe muito bem a importância disso.

Infelizmente, tudo que encontrei foram sites ensinando a criar shell scripts - códigos utilizados no Linux e que realizam tarefas programadas, como uma espécie de programa mesmo. Ocorre que se trata de algo complicado para quem não é programador ou não quer ter que usar a linha de comando.

Desisti de procurar na Internet e passei a estudar os programas instaláveis através do Ubuntu (uma das muitas distribuições do Linux, e a minha preferida). Após testar alguns, o que melhor me atendeu foi o Grsync.

Instale o Grsync através do menu Aplicações > Adicionar/Remover...
Antes de procurá-lo, escolha a opção Todos os aplicativos disponíveis no menu logo à direita do campo de busca. Agora basta buscar por grsync e marcá-lo para instalação. Para concluir, clique em Aplicar Mudanças.

Após instalado, o Grsync vai parar no menu Aplicações > Internet > Grsync. Execute-o (caso não encontre no local indicado, use Alt+F2 e digite grsync, dando Enter).


Na tela do programa, você pode usar e configurar a sessão default (padrão) ou criar uma nova (aconselhável) com o nome de sua preferência.

Veja o exemplo abaixo, no qual crio uma sessão chamada Backup Pen Drive.

No primeiro botão Browse, referente à fonte (source), indique o caminho para a pasta ou drive que será copiado. No segundo botão Browse, indique o destino (destination) da cópia, ou seja, o local onde a cópia será salva.

No exemplo, escolhi copiar o drive referente ao Pen Drive (/media/disk) para uma pasta contida dentro de uma partição do meu HD (/media/sda2/Pen Drive/).

Feito isto, vamos escolher as opções abaixo para que o backup seja feito sempre sincronizando os arquivos entre os dois caminhos escolhidos anteriormente.

Marque a opção Skip newer (pular mais novos), que faz com que os arquivos mais antigos contidos no pen drive não sobrescrevam/substituam os arquivos mais novos contidos na pasta de destino. Isto é útil caso você queira alterar algum arquivo na pasta de destino para depois mandá-lo para o pen drive, fazendo o caminho inverso, o que ensinarei logo adiante.

Marque a opção Windows compatibility para evitar erros de escrita nos arquivos e pastas que serão copiados. Isto ocorre quando copiamos arquivos e pastas contidos numa partição com Linux para uma partição com Windows ou com um sistema de arquivos utilizado pelo Windows (NTFS, Fat32 Fat16). Meu pen drive, por exemplo, utiliza o formato Fat32, o qual, acredito eu, é o formato mais utilizado para pen drives. É bom marcar esta opção ainda que não tenha certeza.

Pronto, agora basta clicar em Executar para transferir todo o conteúdo do pen drive para o destino escolhido. A primeira vez demorará mais pois a pasta de destino está vazia. Nas próximas execuções, o programa irá apenas atualizar a pasta de destino, ou seja, irá gravar apenas os arquivos e pastas novos e atualizar os mais antigos.

Entretanto, como falei antes, pode ser que você tenha feito alguma alteração num arquivo contido na pasta de destino e queira atualizá-lo no pen drive. Para fazer isso, basta inverter a ordem da fonte (source) e do destino (destination). Felizmente, não é necessário mudá-los individualmente, bastando clicar no botão logo à direita dos botões Browse, que tem o desenho de duas setas. Esse botão inverterá os dois caminhos, fazendo com que a fonte se torne o destino e vice-versa.

Essa inversão é bastante útil, pois permite que você utilize a pasta local (destination) como se fosse o pen drive e depois atualize o pen drive deixando ele igual à pasta, ou seja, atualizando os arquivos alterados e enviando os novos.

Venho utilizando esse programa para a finalidade acima e tem sido bastante útil.

Há algumas outras opções, além de Skip newer e Windows compatibility, que podem ser usadas. Você pode também criar outros backups (sessions) clicando em Adicionar.

Observe que a configuração sugerida acima manterá no destino os arquivos e pastas que tenham sido apagados na fonte. Como tenho mais espaço no meu HD (destino) do que no pen drive (fonte), preferi manter os arquivos do destino para, se necessário, apagá-los manualmente. Isso é útil caso você arrependa-se de ter apagado algum arquivo do pen drive, ou tenha apagado o mesmo apenas em alguma urgência para liberar espaço, coisa que costumo fazer bastante.

Caso prefira que os arquivos apagados na fonte sejam apagados também no destino, de sorte a manter os dois caminhos sempre iguais (sincronizados), marque a opção Delete on destination. Muito cuidado com esta opção, pois ela apagará tudo que estiver na pasta de destino e que não esteja na fonte!

Caso você altere o nome de alguma pasta ou arquivo na fonte (pen drive), ao executar a sincronização, o programa entenderá que se trata de um novo programa ou pasta, copiando-o completamente para o destino. Marcar Delete on destination fará com que o programa apague a pasta ou o arquivo com o nome antigo no destino, pois entenderá que tal pasta ou arquivo foi apagado na fonte. Isso evita a duplicidade de conteúdo (com nomes diferentes) no mesmo local.

Espero que esta dica seja tão útil como tem sido para mim.

Se tiver qualquer dúvida, crie um comentário para esta postagem, que responderei logo que puder.

10 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails