terça-feira, 8 de junho de 2010

OAB não é adorno do CNJ

Comentar Enviar por e-mail Enviar por Twitter Publicar no Facebook Promover no Orkut Imprimir ou Converter para PDF Ouça este post Mais opções (pop-up)
Essa afirmação do atual presidente da OAB me deixou com uma imagem mental que eu fui obrigado a colocar no papel:
Brincadeiras à parte, dou toda razão à OAB. O advogado precisa ser mais respeitado pelos tribunais. Mais do que isso, ele precisa ser mais ouvido e também mais requisitado, afinal, é ele o principal "usuário" dos serviços judiciários.

OAB reage a ato Peluso de vetar voz da advocacia: não somos adorno no CNJ

Brasília, 01/06/2010 - A Ordem dos Advogados do Brasil não é peça de adorno no Conselho Nacional de Justiça. A afirmação foi feita hoje (01), em tom de indignação, pelo presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, ao protestar, durante sessão plenária do CNJ, contra o ato arbitrário do presidente daquele órgão de controle externo da magistratura, ministro Cezar Peluso, que tentou impedir a manifestação de Ophir durante o julgamento de um processo envolvendo irregularidades no relacionamento entre uma magistrada e um advogado. "A OAB tem o direito constitucional de se manifestar nas sessões do CNJ a qualquer momento com o intuito de esclarecer ou contribuir para os debates", afirmou o presidente nacional da entidade.

Fonte: OAB Conselho Federal

2 comentários:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails